Fraternidade e superação da violência - Parte I

Imagem oficial da Campanha da Fraternidade 2018

Cartaz oficial da Campanha da Fraternidade 2018

Campanha da Fraternidade: um marco nas igrejas cristâs. E o tema deste ano de 2018 é espetacular: Fraternidade e superação da violência.

Aparentemente um tema romântico, capaz de encantar fiéis piedosos e devotos, que se desdobrariam em orações e mortificações, preocupados com a violência que nos assola.

Mas vai muito além! Estou impressionado com o tema desse ano! A Igreja Católica conclama seus fiéis a refletirem e agirem no sentido de superar a violência praticando a fraternidade, e lembra que fraternidade não é tapinha nas costas, não é questão de sentimento, mas de ATITUDE!

"Ninguém tem mais amor que aquele que dá a vida pelo próximo". Isso requer atitude, não introspecção e recolhimento! A própria CNBB conclama a praticarmos a fraternidade, isto é, termos atitude, em casa, na comunidade, no ambiente de trabalho, na política... É atitude individual, mas pode ser associada com outros cristãos que buscam a superação da violência!

Me surpreende a Arquidiocese de Vitória: já foi das mais envolvidas com a luta contra a injustiça, e hoje... convida tão somente ao recolhimento, a "caminhar no deserto".... ignora o tema da CF que a própria CNBB adotou!

Lembra aquelas igrejas que abdicam do valor evangélico de "Vós sois todos irmãos" e só lembram de Deus como o mágico, o cruel patrocinador do universo que faz e desfaz pelo prazer de ver tudo se dobrar a seus pés; aquelas igrejas pentecostais que prometem revirar a vida de quem ignorar a luta e a história, ignorar seu semelhante, e colocar toda a responsabilidade nas mãos de Deus! "Êle" resolve, "Êle" dá jeito... não preciso lutar, batalhar, me comprometer com meu semelhante...

Ai, Arquidiocese, já foste esperança e hoje és túmulo de um projeto de vida digna para a sociedade!

A CNBB vai ao ponto: Fraternidade como atitude, não somente sentimento. E violência como consequência de estruturas injustas, desigualdades sociais inaceitáveis, arranjos econômicos gritantemente favoráveis a quem muito já tem e dispõe, democracia viciada, discriminação sempre maior dos já discriminados! Quem ama, como quer o evangelho, age para mudar, para reduzir as causas, atua no sentido de favorecer os menos favorecidos!

Essa é a fraternidade que supera a violência, pois combate suas causas! Seja no meio político, profissional, pessoal, familiar, social, eclesial, seja em qual ambiente for! Brilhante análise da CNBB, profundamente questionadora a reflexão que nos propõe! Só nos resta agir!

NOTA: Comentários, provisoriamente, podem ser enviados para o e-mail contato@miltonix.blog.br

RESUMO DAS PASSAGENS EVANGÉLICAS QUE FUNDAMENTAM O RACIOCÍNIO:

Vós sois todos irmãos. (Mt, 23, 8)

Eu vim para que todos tenham vida em abundância. (Jo 10, 10)

Nem todo que diz "Senhor, Senhor" entrará no Reino. (Mt 7, 21)

Ninguém tem mais amor do que quem dá a vida pelo próximo. (Jo 15, 12-13)

Vinde para o Reino pois tive fome, sede, frio e me acolheste. (Mt 25, 34-40)

Até a próxima!