Enquanto a blogonave vagueia pelo bloguespaço...

Decolando...

Enquato a blogonave trafegava despreocupadamente, o bloguespaço permitia a imersão da fantasia nos fascinantes imaginários que a mente humana consegue conceber. Nessa viagem vislumbrei algumas luzes, que logo fui associando a discos voadores.

Há várias histórias de discos voadores, com versões e versões, mas a imensidão do universo não autoriza qualquer afirmação ou negação de suas existências. Divaga aqui, divaga ali, imaginei o que buscaria uma civilização com tecnologia suficiente para lancar um objeto ao cosmo sabendo-o imenso como é.

No caso dos humanos terráqueos, isto é, no nosso caso, não fica difícil a qualquer blogonauta visualizar que, mesmo viajando à velocidade da luz, dependendo da época do ano, ir a marte dispenderia cerca de dez minutos de viagem. Bem, as estrelas mais próximas da terra se encontram a cerca de 100 anos luz, o que já nos dá uma idéia do perfil que deveria ter um astronauta para uma viagem, por mais perto que seja um outro sistema planetário, para visitar outros sistemas - se bem que, nesse caso e nesse futuro, talvez já consigam congelar as pessoas por alguns séculos. Mas ainda dá para perguntar: por que não utilizariam robôs?

Bem, mas a imaginação blogonauta avança nas conjecturas sobre os discos voadores, e logo fantasia que venham conquistar a terra. Talvez buscar a água, bem preciosíssimo para nós e que já começa a nos ser insuficiente, quiçá para outra civilização. Mas não teria tal civilização a tecnologia necessária para produzir, a partir de átomos, as moléculas que lhes fossem necessárias, fossem quais fossem? Se conseguem rasgar centenas de anos-luz de espaço para chegar aqui...

Outro giro da blogonave - e volta a produzir a imaginação: e se simplesmente tais seres fossem como os terráqueos, ávidos por consquistar? Imaginei-me na praia, como um dos habitantes locais, e fico pensando como funcionou a capacidade criadora da imaginação dos moradores dessas comunidades quando, há cerca de quinhentos anos atrás, aqui chegaram naves estranhas, com figuras mais estranhas ainda, poderes desconhecidos para a cultura dos habitantes daquela comunidade, figuras que produziam facilmente fogo e morte, impondo-se e implantando outra cultura como nunca haviam os habitantes locais imaginado....

Aqueles demônios conseguiam arremessar fogo à distância, cozer alimentos, usar vasilhas para abrigar alimentos e roupagens, falar linguas desconhecidas, vestir peles como espíritos malditos, sumir onde o mar encontra o céu... quem eles eram? Que buscavam aqui? Sabia-se que vinham, em seus poderosos equipamentos, de onde o mar encontra o céu, lá na linha do horizonte. Os locais ficavam pasmos, entre o encanto e o terror, sem saber como reagir, suponho.

Eu estava na praia quando chegaram, era um dos moradores da comunidade, como imaginado acima, e depois esses estranhos quiseram acorrentar alguns dos nossos, e conseguiram a vários, levando-os à força para suas naves esquisitas e assustadoras. Também iniciaram a sua própria acomodação no local, ocupando nosso espaço, o que não se poderia permitir: como esses seres horrendos vem de fora e querem se estabelecer em nosso ambiente? Sempre que algum outro povo tentou se aproximar, houve conflitos e guerras.

Voltando aos discos voadores, esses viajantes do além, não importa que objetivo tenham, não trazem escritura das terras, não trazem recibo de compra de árvores e minerais. Como querem se apropriar de tudo e arrastar tanta coisa para fora daqui, ainda ocupando e violando nosso ambiente, nosso espaço, nosso povo, nossas tradições e nossa cultura?

Tornando à praia com a mesma linha de raciocínio, quem chegava tinha poder de fogo, esses seres estranhos, divindades demoníacas, e então a força da razão cedeu lugar à razão da força: eles dominaram!

Será assim também com os extraterrestres, vindos em discos voadores? A nossa dita civilização será agora "civilizada" por seres de outra galáxia? Criar-nos-ão como fazemos aos frangos, embolados, para depois nos retirarem energia e capacidade de raciocinar e produzir hormônios? Muito provavelmente não veremos nós, habitantes do aqui e do agora, a resposta...

Até a próxima!

PS: Dia 08/09 foi aniversário da cidade de S. Luís, capital do Maranhão. O Jornal Nacional, da Rede GLOBO, apresentou reportagem de cerca de 3 minutos sobre a cidade.

Dia 08/09 também foi aniversário da cidade de Vitória, capital do Espírito Santo. O Jornal Nacional, da Rede GLOBO, sequer parabenizou a cidade pelos seus 461 anos.

Eu já sabia que havia discriminação política por aquela rede, mas percebo que também há discriminação social!!!