Com otimismo ou com pessimismo?

Avião caça AMX

O humorista Juca Chaves contava uma piada que comparava os distintos comportamentos de um otimista e um pessimista.

Dizia que um pai tinha dois filhos, cada um de um jeito diferente: um otimista ao extremo e outro pessimista a não poder mais. No Natal, esse pai resolveu testar os filhos e presenteou-os, ao pessimista com uma bicicleta, brinquedo que qualquer menino quer, e ao otimista com uma caixa cheia de cocô de cavalo. Levantou-se bem antes das crianças para observar suas reações.

Quando o pessimista acordou, viu a bicicleta e começou a resmungar: " - Que chato! Que vou fazer com uma bicicleta? Não vou poder andar na rua, pois carros não respeitam ciclistas, e poderei sofrer um acidente. Mesmo em lugares apropriados, posso cair, quebrar o braço, me arranhar todo... Meu pai não tinha um presente melhor?"

Nisso acorda o pessimista, encontra a caixa com os dejetos de cavalo, fica todo sorridente e sai correndo do quarto. Seu irmão pessimista lhe pergunta: "- O que você ganhou de presente?"

Prontamente o otimista responde, todo apressado: "- Ganhei um cavalo! Deixa eu achar onde ele está!"

Piada velha, mas lembro sempre dela ao receber várias mensagens - ou críticas, ou elogiosas. Sei que não é uma questão de otimismo ou pessimismo - é uma questão muito mais profunda, entre visões de mundo, abordagens sobre os verdadeiros valores humanos - porém a reflexão pode ser feita a partir do otimismo/pessimismo das pessoas.

Como reagiria o otimista se ganhasse a bicicleta? Imaginamos que também estaria eufórico! Com certeza, entretanto, nem a avaliação otimista nem a pessimista irão alterar a realidade. Cocô de cavalo foi, é e sempre será cocô de cavalo. Mas como diz o provérbio: "Se a vida lhe deu um limão, faça uma limonada." Isto é, nossa forma de encarar tal realidade pode alterar, isto sim, nossa avaliação e nosso comportamento, dependendo do que se vislumbra.

Falei das mensagens críticas ou elogiosas. Mas não falei do alvo de tais mensagens. Com a desculpa esfarrapada de que "acabou meu tempo" ou "não tenho mais espaço" (rs - pode escolher, prezado leitor), vou deixar para a próxima a continuação dessa reflexão!

Portanto, com sua licença, até a próxima!