Feira do Verde em Vitória

Feira do Verde

Antes de abordar a feira do verde, relembro o Encontro da Família Teubner. Tal evento já se repetiu mais de 20 vezes (sua primeira realização foi no ano de 1990), e acontecerá de novo nesse ano de 2012, no dia 9 de dezembro, no sítio do Jacaré (Ilha das Caieiras). Além dos descendentes de Friedrich Teubner, onde me incluo, podem ir também os amigos, como sempre aconteceu. Seguindo a regra, cada um leva seus comes e bebes, para compartilhar durante o almoço comunitário. Pede-se também que se leve um brinde - coisa simples - que será sorteado em bingo após o almoço, entre os presentes.

Aqui tem uma coletânea de Fotos de encontros anteriores.

Ouvindo mais histórias sobre a família, soube de outra versão do acidente que vitimou nosso bisavô, como relatado no artigo passado, ao pular do ônibus em queda. Na estrada, teria sido atropelado por outro veículo que casualmente passava no local, e não pelo próprio ônibus. Isto por volta do ano de 1935, na estrada que liga Santa Leopoldina a Santa Teresa. Ouço contar tal acidente desde criança, pois tratava-se de meu bisavô.

Como também ouvia contar sobre o acidente com outros bisavós, os pais de Manoel dos Passos Lyrio (que dá nome ao Museu do Pescador). Meu avô tinha cerca de três anos quando seus pais foram conhecer um terreno do outro lado do rio, provavelmente o Rio Santa Maria. Tal fato deve ter ocorrido durante o ano de 1895 ou 1896. Ele a cavalo, ela em um burro, e após observarem o terreno, veio um temporal que encheu o rio. Na volta, o burro escorregou ao atravessar o rio derrubando-a dentro dele, em forte correnteza. Meu bisavô provavelmente foi tentar salvá-la, mas não conseguiu. Morreram os dois, afogados nas águas da enchente repentina.

Falando então da Feira do Verde, na qual pode-se ir também de amarelo ou de qualquer outra cor - não há preconceito - ela acontece já nessa semana. Na praça do Papa, de 26 de novembro a 2 de dezembro.

Além das tradicionais exposições sobre preservação do meio ambiente, experiências auto-sustentáveis e comercialização de artesanatos e plantas ornamentais, a feira promete também um debate sobre a costa e o mar do Espírito Santo. No Memorial da Paz, que fica sob a Cruz do Papa, durante toda a segunda-feira haverá atividades ligadas ao tema. Gostei da ideia!

Prometem "vários eventos técnicos, como seminários, encontros, fórum, mesas redondas, visita técnica, lançamento de vídeos e livros, oficinas, workshops, exposições e exibição de curtas que abordam a temática da feira neste ano, que é: Cidades em busca da sustentabilidade. Serão mais de cinquenta eventos técnicos divididos entre quatro auditórios com atividades durante todo o dia. ... A participação nos eventos é aberta à população em geral e a inscrição é feita na hora."

Banner Feira do Verde

Detalhe: não estou ganhando para divulgar a feira do verde. Faço por considerá-la importante.

Questiono muito a posição das autoridades de um estado que tem mais mar que terra firme e que só falam em porto, porto, porto, como se mar só servisse para porto! (Temos no máximo 300 km de "profundidade" em terra firme a partir da costa e quase 800 km de costa - conte as 200 milhas mar adentro e tire suas conclusões) . Inventaram os chamados "Grandes Projetos" na década de 70, mas procuro os habitantes da época em nosso estado e pergunto: o que mudou na sua vida, o que melhorou? Trouxe muita gente de fora para morar aqui, trouxe mais dinheiro para quem já tinha dinheiro, mas a grande maioria da população não usufruiu desse "crescimento".

Há carência mundial de produção de proteínas para alimentar a população do planeta, e se queremos conservar o que nos resta de matas, temos que nos voltar para o mar! Como produzir proteínas lá? Haveremos de descobrir!

Então acho louvável a iniciativa dessa feira, que além dos atrativos tradicionais, também traz ao debate a grande riqueza que podemos produzir a nosso Leste, além do petróleo que já possui! Onde e quando puder, eu vou participar dessa feira!

Até a próxima!