Por que Miltonix?

 "Este é o prólogo de todas as edições dos livros de Asterix, o gaulês:  'Estamos no ano 50 antes de Cristo. Toda a Gália foi ocupada pelos romanos ... Toda? Não! Uma aldeia povoada por irredutíveis gauleses ainda resiste ao invasor. E a vida não é nada fácil para as guarnições de legionários romanos nos campos fortificados de Babaorum, Aquarium, Laudanum e Petibonum ...' "

   "Obelix é o distribuidor de menires e o melhor amigo de Asterix. Adora o cachorrinho Idéiafix, o qual o acompanha em suas aventuras com Asterix. Só pensa em duas coisas: comer javalis e bater nos romanos. Seu nome provém do francês obelisque (obelisco), relativo ao seu trabalho com menires."

   Simbolicamente, Miltonix quer significar alguem que adora "comer javalis e bater nos romanos" (embora não seja javalis, propriamente... rs). Lutar contra os Romanos pode significar lutar contra o Império que oprime - seja do capital, do poder, de uma nação do hemisfério norte... embora não seja literalmente o Império Romano nos dias de hoje!

   ..."Os guerreiros do Norte cantam vitória demasiado cedo, pois, como toda a gente sabe, os Irredutí­veis Gauleses só tem medo de uma coisa: que o céu lhes caia na cabeça. E amanhã não é a véspera desse dia!"

Asterix pela Deutsche Welle:

CRIADOR DE ASTERIX FAZ 85 ANOS

Pai e filhosAsterix

A Gália ocupava mais ou menos o território da atual França e era uma província do Império Romano, uma situação que não agradava a todos os gauleses. Foi esses gauleses amantes da liberdade que o artista Albert Uderzo homenageou com Asterix, Obelix e companhia. Uderzo, que já passou sua criação para a mão de outras pessoas, faz 85 anos em 25 de abril de 2012.

Inesquecível...Asterix

…permanece René Goscinny, o autor das histórias sobre os gauleses. Ele morreu em 1977, aos 51 anos. A foto é de 1971.

Asterix, o anti-heróiAsterix

O pequeno e narigudo guerreiro, que não tem medo de enfrentar os romanos, virou um símbolo nacional na França. Uderzo queria criar um personagem tipicamente francês, em contraste com os heróis dos quadrinhos americanos. Foi assim que surgiu o engraçado e imbatível Asterix.

Coragem diante dos romanosAsterix

Os gauleses indomáveis Asterix e Obelix estão enraizados na consciência coletiva dos franceses, e não só deles. Eles são famosos em todo o mundo graças à sua astúcia, às poções mágicas e à coragem para se impor diante dos romanos. Os quadrinhos de Uderzo foram traduzidos para mais de cem línguas, incluindo grego antigo e latim, assim como vários dialetos regionais.

Desenho animadoAsterix

Depois da série em quadrinhos, iniciada em 1959, a história também foi lançada em desenho animado, em 1967. Aqui está uma cena de 'Asterix e os Vickings'. Existem oito longas-metragens baseados nos quadrinhos.

Heróis do cinemaAsterix

Os personagens animados tornaram-se, a partir de 1999, atores reais. O filme 'Asterix nos Jogos Olímpicos' leva Asterix (Clovis Cornillac, direita) e Obelix (Gérard Depardieu, centro) até a Grécia para ajudar o jovem gaulês Apaixonadix a vencer as Olimpíadas. Depardieu interpreta o forçudo Obelix nos três filmes produzidos.

Educação

AsterixOs personagens de Uderzo costumam ser usados para fins educativos – afinal, os livros dele são cheios de referências históricas. Quase todos os livros escolares franceses têm algo de Asterix. A popularidade dos gauleses também é usada por museus, como na exposição 'Asterix e os gauleses', aberta de dezembro de 2011 até abril de 2012 em Saarbrücken e que exibe peças celtas forjadas.

Asterix Plastifix

Um fã de Minden, cidade na Alemanha, reuniu mais de 10 mil figuras de Asterix e Obelix. Os 32 livros com as aventuras dos gauleses venderam 350 milhões de cópias, um recorde para quadrinhos da Europa.Asterix

Fãs de todas as idades

AsterixAté hoje, os personagens criados por Uderzo e Goscinny são queridos por muita gente. Aqui está um exemplo: um torcedor francês, vestido como Obelix, na Copa do Mundo de Futebol Feminino, no dia 30 de junho de 2011, no estádio de Bochum. O time francês derrotou os canadenses por 4 a 0.

Autoria: Jochen Vock / Hugo Wessling (kr) | Edição: Alexandre Schossler

(Página eletrônica da Deutsche Welle.)